» Imprensa » Comunicados de Imprensa » Comunicado 1
Español English Português

Especialistas em políticas de drogas de treze países se reúnem no Rio de Janeiro

Será nos dias 26 e 27 de agosto, no auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), marcando a II Conferência Latinoamericana sobre Politica de Drogas e a I Conferência Brasileira. O foco será em geopolítica e tráfico, despenalização e tratamentos alternativos. A conferência é realizada por duas organizações da sociedade civíl: Intercambius, da Argentina e Psicotrópicus, do Brasil.

( Rio de Janeiro, 21 de julho de 2010) Passado um ano da I Conferência Latinoamericana sobre Políticas de Drogas, na Argentina, o debate sobre tráfico, consumo, despenalização e políticas governamentais foi incrementada em toda a região. Agora, com a presença de especialistas de treze países, entre acadêmicos, funcionários e ativistas, nos próximos 26 e 27 de agosto, no Auditório da Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, será realizada a II conferência Latinoamericana sobre Politicas de Drogas. Se trata do evento mais importante da regiao em políticas de drogas, que neste ano terá sede no Brasil.

A conferência, realizada no ano passado em Buenos Aires, foi marcada pela expectativa ante a eminência da sentença da Suprema Corte de Justiça da Argentina que declararia inconstitucional a penalização por porte de drogas para consumo pessoal. Para isso, foi muito importante a participação de um dos juizes do máximo tribunal como palestrante, Eugenio Zaffaroni. O encontro serviu para que o assunto fosse incluído na agenda dos meios de comunicação de toda a região.

Algo parecido acontece este ano no Brasil, já que faz poucos dias o vice- ministro da justiça Pedro Vieira Abramovay anunciou que seu governo analiza  despenalizar o consumo de maconha. Por sua vez, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso apontou que a atual legislação merece ser revisada e criticou as políticas centradas na repressão ao consumidor. Com isso, a II Conferência Latinoamericana terá claramente a possibilidade de voltar a se transformar na caixa de ressonância e impulso para o avanço das políticas sobre drogas.

Direitos Humanos e Políticas de Drogas

No  contexto de uma forte rejeição à denominada “guerra contra as drogas”, um dos pontos mais destacados dos temas tratados se refere aos Direitos Humanos e Políticas de Drogas: políticas preventivas, assistenciais e o lugar dos usuários de drogas na agenda dos orgãos das Nações Unidas. Os especialistas vão expor também sobre atenção integral, contexto sociocultural e reformas legislativas, entre outros assuntos.

A II conferência Latinoamericana sobre Políticas de Drogas reunirá mais de trinta palestrantes de treze países, todos especialistas. Entre eles se encontram: Ethan Nadelman (DPA), Manuel Cardoso (Instituto das drogas e adicções de Portugal), José Serrano Salgado (Ministro da Justiça e Direitos Humanos do Equador), Mónica Cuñarro (titular da secretaria que cordena as politicas de drogas na Argentina), Reynaldo Molina Salvatierra ( Programa de Apoio ao Controle Social da Produção da folha de Coca da Bolivia). Pedro Gabriel Godinho Delgado e Mariangela Simão (ambos do Ministério da Saúde do Brasil), Luis Astorga ( investigador da UNAM, México), Francisco Thoumi (especialista colombiano) e Paulo Teixeira ( Deputado Federal/PT-Brasil).

Inscrição

Toda a informação sobre a conferência, a pauta, horários além de datos úteis sobre onde hospedar-se no Rio de Janeiro, e os formulários de inscrição podem ser consultados via internet no site www.conferenciadrogas.com . A inscrição é gratuita mas a quantidade de participantes é limitada pela capacidade do auditório.

Sobre os organizadores

Intercambios Asociación Civil (Buenos Aires/Argentina) é uma organização importante na America Latina no tema de redução de danos e política de drogas. Desenvolve ações de incidência política, investigação, distribuição de informação e fortalecimento de capacidades. Organiza a Gonferência Latinoamericana de Políticas de Drogas, cordenou o processo de discussão da sociedade civíl na região sobre as metas fixadas pela sessão especial da Assembléia das Nações Unidas sobre Drogas (UNGASS) e foi a responsable pela  organização das sete Conferências Nacionais de Políticas de Drogas.

Psicotropicus (Rio de Janeiro/Brasil) é uma ONG fundada em 2003 que trabalha para mudar a atual política de drogas. É uma associação pioneira no Brasil que ajudou a tirar o debate sobre drogas da marginalidade em que se encontrava e traze-lo ao centro de discussões cotidianas. Tem como objetivo reduzir significativamente os danos causados pelas políticas de drogas vigentes, atravéz da mobilização, do diálogo, da informação confiavel, apoiando investigações e gerando conhecimento  para que tenhamos uma sociedade onde o “problema mundial das drogas” seja abordado a través de outro foco.